Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007
Depois de rever o video de Walking In My Shoes, fiquei nostálgico e resolvi hoje ouvir um dos discos dos DM ao acaso e peguei no Black Celebration, de 1986. Canções negras, desesperadas, desoladas ou inconformadas, são todas extremamente bonitas e sempre actuais, mesmo a nível instrumental.
Eis que chega Stripped, uma das faixas mais emblemáticas deste álbum. Mal começou a rodar, lembrei-me logo da poderosa versão realizada no tributo aos DM - For The Masses, de 1998. O cover de Stripped coube aos Rammstein, que o incluíram no seu próprio disco e o promoveram com um video igualmente belíssimo.
Há quem diga que o video, composto por imagens do filme Olympia de Leni Riefenstahl (que documenta os Jogos Olímpicos de 1936 em Berlim), faz a apologia do nazismo alemão. Eu não acredito e acho que é preciso fazer uma releitura das imagens no seu contexto actual. Sobretudo, ancorando-as na canção, que diz exactamente para "tomares decisões sem a tua televisão", aludindo ao veículo de propaganda política primordial daquela época (ainda hoje). Assim, as imagens fazem todo o sentido, como alerta, apontando directamente para um exemplo do que outrora influenciou as massas sem espírito crítico.
"Deixa-me ver-te despido", o refrão, apela ao conhecimento íntimo da pessoa, da sua essência e não do que se vê por fora, que se "vestiu" por influência da sociedade. Mais uma vez, é a tentativa de compreender e ser empático.
Seja como for, as imagens são de uma beleza única - Riefenstahl foi brilhante na execução de técnicas de rodagem inovadoras e revelou ter uma grande sensibilidade estética.
No caso dos Rammstein, a montagem sincronizada com a música é excelente e alguns efeitos especiais dão o último toque, principalmente na sequência final dos mergulhos em altura, a melhor parte para mim. Apreciem:



Come with me
Into the trees
We'll lay on the grass
And let the hours pass

Take my hand
Come back to the land
Let's get away
Just for one day

Let me see you
Stripped (down to the bone)
Let me see you
Stripped (down to the bone)

Metropolis
Has nothing on this
You're breathing in fumes
I taste when we kiss

Take my hand
Come back to the land
Where everything's ours
For a few hours

Let me see you
Stripped (down to the bone)
Let me see you
Stripped (down to the bone)

Let me hear you
Make decisions
Without your television
Let me hear you speaking
Just for me

Let me see you
Stripped (down to the bone let me hear you crying
Just for me)


publicado por garçon às 12:34 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
links
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30


posts recentes

Génova

Escrito num WC público

Jacqueline Du Pré Encanto...

Polícia emancipada/o

MpI - Eu sou o 63º subscr...

Bossa, Elis, 1965, Ecolog...

O Enterro de Sidney Beche...

As palavras são como as.....

Foi Jazz - Sidney Bechet

É Jazz - Joel Xavier "Sar...

arquivos

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

acesso ao casamento

bem disposto

clássicos

coisas de contar

conta como podia ser

contra-buplicidade

dança

desafio

desliguem os telemóveis.

direitos assertivos

direitos humanos

é o drama

flores

hobbies

igualdade

jazz

jazz foi

jazz fresquinho

mundo engraçado

mundo feio

o virar da página

objectivamente (fotografia)

olha pra mim

pessoas

poesia

ponto de escuta

prosa

quem sabe...

sweet sadness

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds