Terça-feira, 24 de Junho de 2008
Há canções que nos fazem sorrir, há canções que nos põem tristes, há aquelas que nos lembram alguém e ainda as que dizem mais de nós do que nós próprios. Que nos ensinam a viver e a amar, o que nunca tínhamos pensado que éramos capazes de fazer.
Algumas invocam uma perda, outras uma esperança ou ambas. The Return to Innocence condensa um pouco disto tudo e reparo, ao olhar para o meu retrato ao lado, como está próxima do meu conceito de liberdade. Gostava de (re)encontrar a minha inocência, da qual tenho uma vaga memória, para chegar a livre mais depressa.



Dont be afraid to be weak
Dont be too proud to be strong
Just look into your heart my friend
That will be the return to yourself
The return to innocence

If you want, then start to laugh
If you must, then start to cry
Be yourself dont hide
Just believe in destiny

Dont care what people say
Just follow your own way
Dont give up and use the chance
To return to innocence


publicado por garçon às 21:01 | link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Domingo, 22 de Junho de 2008
Le coeur qui cherche le tien
il n'est pas du tout loin
il espère que tu rêves
qu'il se brûle de la fièvre
de te connaître, enfin!

Cherches ma main ouverte,
attendant la tienne, certes,
que tu alors trouveras
le chemin où l'amour va
sans peur de la perte

La bouche de mon silence
pleure fort ton absence
connaît bien la sensation amère
de la défaite de l'âme guerrière
pour que ne reste que l'espérance


Ton corps est mon désir
mon lit il devait devenir
le mien demande qu'il m'aime
si tu ne le veux pas, quand même,
si tu ne me donnes que plaisir

Je supplique ton amour égal
au mien pour que ce soit idéal
j'ai aussi besoin de ton esprit
pour n'importe pas quel prix
pour enlever du monde tout le mal

tags:

publicado por garçon às 16:06 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 21 de Junho de 2008
Quando eu estudava, costumava escrever nas margens dos textos fotocopiados as minhas reflexões sobre o que lia. E também sobre o que me distraía. Às vezes eram as canções que estavam a passar nos canais de música (quando a sala era onde é agora o quarto dos meus pais antes de a minha irmã ter casado) e que eu queria reter para comprar ou gravar mais tarde. Às vezes eram coisas que não queria esquecer, que queria fazer ou angustiadas tentativas de começar um poema...
Agora que estou a enterrar parte do meu passado deitando fora resmas de papel que já não me serve para nada, é curioso encontrar também listas de palavras ou expressões cuja motivação e nexo se encontram varridas da minha memória e são tão novas para mim como para qualquer outro leitor.
À esquerda do começo de um capítulo (o catorze) com o título "Hacia una nueva responsabilidad pública en la televisión" escrevi isto:

Imagem
Ironia
Originalidade
Finalista
Amigo q se deu bem
Música
Rapaz normal
Procura
Int. Simp. Bem disp.
Bom nível cultural, 1 pouco cáustico
Inexperiência/desconfiança
Moreno/Altura/Peso/cab/olhos
Bem parecido q.b.
Escrever muito
-----"-----
Sinceridade
Não frequentador
partilhar
amigos

NR-A transcrição do manuscrito respeita a ortografia e grafismo do original.


publicado por garçon às 17:17 | link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

mais sobre mim
links
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30


posts recentes

Génova

Escrito num WC público

Jacqueline Du Pré Encanto...

Polícia emancipada/o

MpI - Eu sou o 63º subscr...

Bossa, Elis, 1965, Ecolog...

O Enterro de Sidney Beche...

As palavras são como as.....

Foi Jazz - Sidney Bechet

É Jazz - Joel Xavier "Sar...

arquivos

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

acesso ao casamento

bem disposto

clássicos

coisas de contar

conta como podia ser

contra-buplicidade

dança

desafio

desliguem os telemóveis.

direitos assertivos

direitos humanos

é o drama

flores

hobbies

igualdade

jazz

jazz foi

jazz fresquinho

mundo engraçado

mundo feio

o virar da página

objectivamente (fotografia)

olha pra mim

pessoas

poesia

ponto de escuta

prosa

quem sabe...

sweet sadness

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds