Domingo, 31 de Maio de 2009

O próximo vídeo ajuda a perceber quão grande era a adoração dos franceses pelo músico de jazz norte-americano Sidney Bechet. Prova que não só este adoptou França como pátria como também o país adoptou o artista como seu.

Patricia Kaas no início da sua carreira discográfica.

 

 

A l'enterrement d'Sidney Bechet
Y avait des flûtes des clarinettes
So long Big Man.
A l'enterrement d'Sidney Bechet
Y'avait des putes et des poètes
Et des barmans.

A l'enterrement d'Sidney Bechet
Y'avait Boris et sa trompette.
A l'enterrement d'Sidney Bechet
On jouait du Jazz rue de la Huchette.

A l'enterrement d'Sidney Bechet
Y'avait des petites fleurs des pâquerettes
So long Big Man.
A l'enterrement d'Sidney Bechet
Personne n'est venu faire la quête
Pas vous m'ssieurs dames.
...


Dans un club de la New Orléans
Au paradis des musiciens
Il a sûrement une place assise
Dans un orchestre qui se souvient.

...



publicado por garçon às 23:31 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 30 de Maio de 2009

 

Aqui vai uma pista. Esta é a flor da árvore que as dá. Outra pista: É o tempo delas. Uma curiosidade: Esta espécie veio da Ásia e a sua flor é símbolo do Japão, onde se realiza, quando estas árvores florescem, a Festa da... sakura.

 


tags:

publicado por garçon às 23:47 | link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sidney Bechet (Nova Orleães 1897 - Garches 1959) foi desde muito novo um destacado instrumentista tendo aprendido a tocar quase todos os instrumentos de jazz, em especial, o clarinete.

A sua maneira de usar a vocação decorativa do clarinete lançou-o para as melhores bandas de Nova Orleães quando ainda era criança. Mas foi na Europa, onde andou em tourné na orquestra de Will Marion Cook, em 1919, que foi recebido com maior entusiasmo ao passo que nos EUA passava despercebido mesmo após o seu regresso e o seu lançamento discográfico.

Enquanto esteve no estrangeiro, encontrou aquele que passaria a ser o seu principal instrumento, o saxofone soprano.

Passados alguns períodos mais ou menos felizes ou conturbados da sua carreira, acabou por adoptar França como residência permanente (1949) e tornou-se aí uma celebridade e um herói nacional.

 

"Summertime" foi um grande sucesso gravado em 1938.

 

 


tags: ,

publicado por garçon às 22:54 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 28 de Maio de 2009

Joel Xavier é considerado um dos mais prestigiados guitarristas mundiais. Com apenas 19 anos venceu o Concurso Internacional de Guitarra da National Association of Music Merchants em Los Angeles e foi considerado um dos cinco melhores guitarristas do ano nos EUA.

Agora que este artista tem 35 anos, o seu novo disco, Saravá, é um trabalho de fusão entre o jazz e os ritmos afro-brasileiros gravado ao vivo no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa.

 

 



publicado por garçon às 17:58 | link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

"Acreditando que um dia povo e lei reconhecerão o casamento de pessoas do mesmo sexo, como governador da Califórnia irei manter a decisão do supremo tribunal da Califórnia. Em relação aos 18.000 casamentos celebrados antes da Proposition 8, o tribunal tomou a decisão correcta de os manter intactos. Também quero apelar aos que reagirem à decisão do tribunal hoje para que o façam de modo pacífico e dentro da lei."

 

“While I believe that one day either the people or courts will recognize gay marriage, as governor of California I will uphold the decision of the California supreme court. Regarding the 18,000 marriages that took place prior to Proposition 8’s passage, the court made the right decision in keeping them intact. I also want to encourage all those responding to today’s court decision to do so peacefully and lawfully.”

 

-- 26/05/2009, Arnold Schwarzenegger, governador da Califórnia, sobre a decisão do supremo tribunal do estado de manter a Prop. 8 (que retira o acesso ao casamento a pessoas do mesmo sexo)



publicado por garçon às 17:32 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Um viúvo ou uma viúva não escolheu ser viúvo ou viúva. Mas também não foi o homem legislador que o impôs. Foi o acaso, o divino ou uma fatal coincidência de circunstâncias, como quiserem. Já os estados solteiro, casado ou divorciado fazem parte de uma liberdade de escolha que resulta na tomada de uma decisão. Não interessa se é mais ou menos consciente. O que importa é que parte do indivíduo e é da sua inteira responsabilidade cabendo às instituições apenas a regulamentação dos trâmites do processo e das implicações que cada estado acarreta.

 

No entanto, não é isso que se verifica na maior parte das sociedades actuais. Nas que não admitem o casamento entre pessoas do mesmo sexo, por exemplo, um homossexual é obrigado a manter-se solteiro durante toda a sua vida. É verdade, por muito que queira juntar os trapinhos e fazer uma festa junto do registo civil, NÃO PODE! E depois há países com sistemas políticos muito fora do alguma vez visto no mundo inteiro, como os EUA, que tencionam revogar casamentos já celebrados. Felizmente, isso não aconteceu (ver a próxima posta), senão, por muito que dois homens ou duas mulheres quisessem continuar casados, NÃO TERIAM ESCOLHA!

 

Segue um vídeo realizado antes da decisão do Supremo Estado da Califórnia alertando para os divórcios coercivos que ameaçavam casais felizes.

"Fidelity": Don't Divorce... from Courage Campaign on Vimeo.



publicado por garçon às 16:42 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

...Termos todos os mesmos direitos e deveres.

 

No próximo domingo, vai ser apresentado na Sala São Jorge, em Lisboa, às 16h, o MPI - Movimento Pela Igualdade no acesso ao casamento civil. A leitura do documento-manifesto será feita pela actriz Fernanda Lapa seguido das razões de várias personalidades públicas presentes para apoiarem esta causa. Entre elas, contam-se o psiquiatra Daniel Sampaio, a constitucionalista Isabel Mayer Moreira e o escritor José Saramago.

 

Eu já pus na minha agenda. Apareçam também.



publicado por garçon às 12:31 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 17 de Maio de 2009

Bessie Smith (Chattanooga, Tennessee 1894 - Clarksdale, Mississippi 1937) será para sempre a denominada imperatriz do blues. Foi "descoberta" e apoiada pela cantora de blues Ma Rainey, que se tornou na sua mentora até Bessie sobressair mais do que a "professora". A Columbia contratou-a e lançou o seu primeiro disco, em 1923, com Clarence Williams no piano. Foi somando êxitos e ganhando fama e dinheiro até que a Depressão, a mudança de gostos do público e o álcool ditaram o fim da sua carreira discográfica nesta editora. Em 1937, quando estava prestes a fazer o seu comeback, então, como cantora de swing, Bessie Smith morreu esvaída em sangue no hospital para onde a trouxeram depois do acidente de viação que a vitimou. Em 1929, tinha entrado no filme St. Louis Blues, não havendo nenhum outro registo fílmico com ela. Em compensação, deixou-nos 160 discos, em que acompanhou alguns dos maiores solistas de jazz - entre outros, Louis Armstrong, Fletcher Henderson e James P. Johnson.

 

 

There's a saying going 'round and I begin to think it's true
It's awful hard to love someone, when they don't care 'bout you
Once I had a lovin' man, as good as many in this town
But now I'm sad and lonely, for he's gone and turned me down, now
I ain't got nobody and nobody cares for me
I got the blues, the weary blues
And I'm sad and lonely, won't somebody come and take a chance with me?
I'll sing sweet love songs honey, all the time
If you'll come and be my sweet baby mine
'Cause I ain't got nobody, and nobody cares for me



publicado por garçon às 21:04 | link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Terça-feira, 12 de Maio de 2009

O próximo puzzle que vou montar foi fabricado em Espanha e talvez isso explique o nome que lhe foi dado: "Bairro Alto". Nada de mal se não fosse uma gravura do Elevador da Bica!

 

Esta posta chama-se "puzzle em construção" porque estou aqui com uma ideia...


tags:

publicado por garçon às 20:32 | link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

 

...Os girassóis na parede do meu quarto, "montados" por mim, puzzle e moldura.

 

 

Fotografia de garçon



publicado por garçon às 20:08 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

mais sobre mim
links
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30


posts recentes

Génova

Escrito num WC público

Jacqueline Du Pré Encanto...

Polícia emancipada/o

MpI - Eu sou o 63º subscr...

Bossa, Elis, 1965, Ecolog...

O Enterro de Sidney Beche...

As palavras são como as.....

Foi Jazz - Sidney Bechet

É Jazz - Joel Xavier "Sar...

arquivos

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

acesso ao casamento

bem disposto

clássicos

coisas de contar

conta como podia ser

contra-buplicidade

dança

desafio

desliguem os telemóveis.

direitos assertivos

direitos humanos

é o drama

flores

hobbies

igualdade

jazz

jazz foi

jazz fresquinho

mundo engraçado

mundo feio

o virar da página

objectivamente (fotografia)

olha pra mim

pessoas

poesia

ponto de escuta

prosa

quem sabe...

sweet sadness

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds