Sábado, 2 de Fevereiro de 2008
Hoje de manhã, tinha acabado de começar a trabalhar, a loja ainda vazia, uma colega vira-se para mim com um livro na mão a mostrar-me a capa e diz:
-Olha, este livro é tão giro! Hoje estou num daqueles dias em que só me apetece o mesmo.
O título do livro era "Dá-me um abraço" e contava a história de um ouriço que pedia um abraço a toda a gente mas ninguém lho dava por ser muito espinhoso.
Eu, no mundo dos sonhos ou demasiado concentrado no meu umbigo como tenho tentado ultimamente, respondi a rir:
-Pois é, há dias assim. Ou disse: -Comigo também acontece. Já nem sei bem o que falei. Mas falei só por falar, para fazer o jeito e nem percebi a verdadeira intenção dela.
Só à hora de almoço é que percebi como tinha sido estúpido. Estando eu no armazém, ouço-a contar a outra colega, pegando no mesmo livro, a conversa que tinha feito comigo de manhã. Foi então que se fez luz na minha cabeça (a meio do dia convinha ou, então, era mesmo estúpido ou muito distraído).
-Espera lá! - disse eu -Tu querias que eu te desse um abraço! Que estupidez a minha não ter percebido a indirecta, ou melhor, a directa!
Elas desataram a rir e eu também.
-Ainda vou a tempo? -perguntei acanhado.
-Bem... Pode ser, vá.
Abracei-a. Apesar de tudo, soube-me bem. Espero que tenha sabido bem a ela também.
Não estou habituado a que me peçam abraços nem a pedi-los desde o tempo em que estudava em Coimbra. Este pedido, que não entendi logo à primeira, foi, por isso, muito surpreendente para mim. Aquela miúda é especial.


publicado por garçon às 21:53 | link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De Hugo Tom a 3 de Fevereiro de 2008 às 12:23
Eu gosto muito de pedir abraços e faço-o frequentemente aos meus amigos. Mas confesso que as pessoas não estão habituadas e reagem com alguma estranheza. Mas eu nem dou tempo a estranhezas, avanço logo de braços abertos. :-)


De Mr Fights a 3 de Fevereiro de 2008 às 18:54
Há dias em que me apetece imenso receber um... Mas raramente tenho coragem de pedir...


De rifa a 3 de Fevereiro de 2008 às 22:13
hugo tom: acho que essa é realmente a melhor táctica :-)


De pipoca a 5 de Fevereiro de 2008 às 22:30
Não há nada como um bom abraço... daqueles bem apertados que nos fazem sentir seguros, protegidos contra tudo e todos... Mas nem sempre há vontade, ou disponibilidade, ou liberdade para tal... Que todos os abraços sejam saudados, sejam celebrados e festejados e que este que nos contaste... seja um primeiro passo para muitos outros ;) e sempre que quiseres... ou precisares... pede-me um abraço que dou de boa vontade ;)
Beijo
Filipa


De rifa a 6 de Fevereiro de 2008 às 21:59
pipoca: obrigado pipinha ;)
se quiseres um abraço meu dá-mo logo. não me mostres livros à espera que eu perceba lol


De Elsa a 13 de Fevereiro de 2008 às 12:52
que bom! abraços!


De rifa a 14 de Fevereiro de 2008 às 00:00
elsa, abraços para ti também! ;)


Comentar post

mais sobre mim
links
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30


posts recentes

Génova

Escrito num WC público

Jacqueline Du Pré Encanto...

Polícia emancipada/o

MpI - Eu sou o 63º subscr...

Bossa, Elis, 1965, Ecolog...

O Enterro de Sidney Beche...

As palavras são como as.....

Foi Jazz - Sidney Bechet

É Jazz - Joel Xavier "Sar...

arquivos

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

acesso ao casamento

bem disposto

clássicos

coisas de contar

conta como podia ser

contra-buplicidade

dança

desafio

desliguem os telemóveis.

direitos assertivos

direitos humanos

é o drama

flores

hobbies

igualdade

jazz

jazz foi

jazz fresquinho

mundo engraçado

mundo feio

o virar da página

objectivamente (fotografia)

olha pra mim

pessoas

poesia

ponto de escuta

prosa

quem sabe...

sweet sadness

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds