Terça-feira, 12.05.09

 

...Os girassóis na parede do meu quarto, "montados" por mim, puzzle e moldura.

 

 

Fotografia de garçon



publicado por garçon às 20:08 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

 

Joana ou outra pessoa qualquer: Sabem dizer-me se o que está na fotografia é a flor (ou o que restava dela) de uma agave americana?

 

 

Fotografia de garçon



publicado por garçon às 19:18 | link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Quinta-feira, 07.05.09

Acabei de colar as peças do último puzzle que montei (Os Girassóis, Van Gogh). Amanhã, irei emoldurá-lo e pô-lo na parede. Colocá-lo-ei no sítio donde retirarei o puzzle montado antes desse - Nenúfares, Claude Monet. A fotografia deve ter um par de anos mas foi tirada já com a intenção de mandar uma posta aqui. As condições de luz e os reflexos da moldura não fazem desta uma boa fotografia mas fica a ideia.

 

 

Fotografia de garçon



publicado por garçon às 22:20 | link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 04.05.09

 

A Natureza de um jardim num dia de Sol primaveril. 

 

 

Fotografias de garçon



publicado por garçon às 20:07 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 23.04.09

 

 

"Por isso, se te disser que sinto frio,

que a água da chaleira

evaporou,

mas que de vez em quando sempre,

às vezes,

o embaraço do vapor em que ela se dissolve

deixa uma gota mais aflita

no desamparo

em que me acolhes,

lembra-te da comoção

que me embarga a voz, quando, após uma longa

ausência, apareces, para e de cada vez

que tal acontece, te ires

definitivamente

embora."

 

Não Me Morras, Eduarda Chiote, &etc, 2004

Com uma fotografia de Garçon, Novembro/2008



publicado por garçon às 21:09 | link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Domingo, 11.01.09

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Sol e o Céu são um só

tão só é o amor que os une

amor fingido no Oriente

sem sentido quando se sente

o fim no horizonte quente.

 

Tão breve se deleita

no vazio a chama

que o frio logo reclama

por tão frágil calor

que se passe uma receita

uma extensão do amor.

 

Possível não o é

que a Lua também ama

ao Céu ela se chama

mal esta desaparece

e assim o amor arrefece.

 

Pelos dois o Céu escorrega

corre, tropeça e cai.

Um é forte e protestante

o outro vai inconstante

ora cresce e desassossega

ora fica minguante

 

tal é a fome que perdura

assim é um amor sem cura.

 

Aos dois o Céu se entrega

dá tempos e espaços definidos

que amor pode ser

que tenha que ter

limites estabelecidos,

nem o dia infinito, nem as noites sem comer

para sempre ver.



publicado por garçon às 18:38 | link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Sexta-feira, 15.08.08
- Se ao menos a Joana Vasconcelos me fizesse um corpete de renda de bilros ou uma gargantilha com latas do Bongo, o rei da selva! Não há? Pode ser Guaraná, se faz favor.


(modelo gentilmente cedida pelo "Badocas" Park)


publicado por garçon às 19:05 | link do post | comentar | favorito

Domingo, 03.08.08


publicado por garçon às 20:24 | link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Sábado, 02.08.08
Estes grafiteiros estão cada vez mais ousados. É banal vermos muros grafitados por todo o lado, junto à linha de comboio, em prédios abandonados e debaixo das pontes. Já é normal descobrirmos desenhos desses em sítios de difícil alcance, daqueles que nos pôem a pensar como é que se chega ali, ou melhor, o que leva alguém a sacrificar-se para lá chegar - correndo riscos - só para deixar um tag, ainda por cima feio. Mesmo assim, estes "artistas" não deixam de surpreender. Estamos habituados a isto na periferia das grandes cidades ou em zonas marginais dentro delas. Ora vejam, porém, o que fizeram num prédio restaurado da Avenida da República, em Lisboa:






publicado por garçon às 12:40 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 21.07.08

Ultimamente tenho andado desligado embora tenha voltado a ter ligação à Internet. A minha vida mudou tantas vezes no primeiro semestre deste ano. Mudei de emprego, mudei de casa e troquei os transportes públicos por um carro comercial. De livreiro no Chiado passei a assistente administrativo em Carnaxide, de um quarto alugado nas Laranjeiras voltei para o meu quarto da Margem Sul e, em vez de acordar às 5h30m para apanhar quatro transportes diferentes até chegar ao trabalho, optei pela compra de uma viatura em segunda mão e por acordar uma hora mais tarde (dói na mesma).
Apesar disso, creio que as mudanças não vão ficar por aqui e espero terminar o ano muito mais feliz do que quando comecei. A vida é mesmo assim, feita de altos e baixos, e é bom aproveitar um bate cu no chão para dar balanço à nova subida.


publicado por garçon às 22:47 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

mais sobre mim
links
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30


posts recentes

Aqui estão os famosos...

Agave Americana?

Nenúfares

Jardim Amália, 2 de Maio ...

"Delicadeza" - Final

O Sol e o Céu São Um Só

Ai! Estou tão nua!

Dead End

Com a cabeça nas nuvens

Desligado

arquivos

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

acesso ao casamento

bem disposto

clássicos

coisas de contar

conta como podia ser

contra-buplicidade

dança

desafio

desliguem os telemóveis.

direitos assertivos

direitos humanos

é o drama

flores

hobbies

igualdade

jazz

jazz foi

jazz fresquinho

mundo engraçado

mundo feio

o virar da página

objectivamente (fotografia)

olha pra mim

pessoas

poesia

ponto de escuta

prosa

quem sabe...

sweet sadness

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds